Você está visualizando atualmente Ministros do STF participam de lançamento de livro em homenagem ao decano Gilmar Mendes

Ministros do STF participam de lançamento de livro em homenagem ao decano Gilmar Mendes

O livro reúne artigos escritos por 45 juristas.

586 pessoas já viram isso

A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Rosa Weber, e os ministros Ricardo Lewandowski, André Mendonça, Edson Fachin, Dias Toffoli, Alexandre de Moraes e Luiz Fux, além do procurador-geral da República, Augusto Aras, participaram, nesta quarta-feira (19), do lançamento do livro “A defesa da Constituição e do Estado de Direito: homenagem aos 20 anos do Ministro Gilmar Mendes no STF”.

Na solenidade, a presidente ressaltou a importância do trabalho do ministro para a jurisprudência do Supremo. “Não fosse a atuação do ministro Gilmar Mendes, certamente não teríamos instrumentos tão adequados e tão eficazes para enfrentar os temas que se colocam na Suprema Corte, que são essenciais para o País”, afirmou. “Tê-lo como decano representa uma segurança para quem está na administração do Tribunal”.

Um dos organizadores da obra, o professor Luciano Felício Fuck, disse que o livro contém 34 artigos escritos por mais de 45 juristas admiradores do trabalho do ministro Gilmar Mendes como juiz do STF e como doutrinador constitucional. “São ideias e teorias tão importantes que revolucionaram não só a Suprema Corte, mas a jurisdição constitucional brasileira”, afirmou.

Também participaram do trabalho de organização da obra os juristas Sérgio Antônio Ferreira Victor, Fábio Lima Quintas e Georges Abboud.

O último a discursar foi o ministro Gilmar Mendes, que agradeceu a homenagem e lembrou sua trajetória desde os tempos em que estudava em uma escola no interior de Mato Grosso até a chegada ao Supremo Tribunal Federal.

Ele admitiu ter dificuldade em lidar com homenagens, por ter um perfil de embates e combates. “Eu me acostumei, ao longo desses anos, a ser criticado, e muitas vezes achava as críticas injustas. Mas gostaria de agradecer não só aos organizadores, mas àqueles que se dedicaram a escrever. Fiquei sensibilizado pela dedicação e pela qualidade do livro”.

O ministro fez um retrospecto do Brasil desde a promulgação da Constituição Federal de 1988, passando pelos vários planos econômicos para combater a hiperinflação, até os dias atuais. “Hoje somos uma nação muito mais progressista do que éramos em 1988”, avalia.

IV//CF

 

Deixe um comentário